Não é Preciso Começar Novamente: Ações de Gestão Ambiental de Resíduos Sólidos no Ambiente Escolar

Autores

  • Taiane Aparecida Ribeiro Nepomoceno Pesquisadora do Grupo de Estudos e Pesquisas em Ciências Ambientais (Gepecia/Unioeste). https://orcid.org/0000-0003-3291-4221
  • Edimar Lia Pontarolo Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE).
  • Fernanda Raquel Vier Hermann Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE).
  • Paula Graziela Gasparin Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE).
  • Douglas André Roesler Professor Associado na UNIOESTE e Pesquisador do Grupo de Pesquisa Cidade Digital Estratégica da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR). https://orcid.org/0000-0002-0158-2167

DOI:

https://doi.org/10.32915/pleiade.v15i33.710

Resumo

Ocasionados pelo crescimento populacional vivenciado nos últimos séculos, os impactos ambientais causados pela geração de resíduos sólidos têm afetado cada vez mais a qualidade de vida de milhares de pessoas. Os resíduos sólidos, representados por materiais advindos de práticas cotidianas e o seu descarte incorreto, geram diferentes formas de poluição ambiental. Nesse contexto, a principal finalidade deste trabalho é discutir a problemática dos resíduos sólidos sob a ótica da perspectiva escolar, com enfoque em ações de gerenciamento e educação ambiental. Foi realizado um levantamento bibliográfico em três bases de dados, sendo elas: Google Acadêmico, SCIELO e Portal de periódicos da CAPES. Para a busca foram delimitadas as seguintes palavras-chave: Educação ambiental; Resíduos sólidos; Sistema escolar. A fim de sensibilizar os estudantes, desde os anos escolares iniciais, sobre a importância da coleta e destinação correta de resíduos, é necessária a inserção da dimensão ambiental dentro do contexto escolar. Assim, a educação ambiental surge como instrumento para a efetivação dessa ideia. Ela sugere maneiras de abordar assuntos relacionados aos resíduos sólidos e indica caminhos para minimizar o agravamento da crise ambiental gerado por eles. Para isso, diversas ações já desenvolvidas cotidianamente no meio escolar podem promover a sensibilização e a aquisição de uma nova forma de entender e tratar o ambiente. A aplicabilidade da educação ambiental na escola representa, portanto, uma possibilidade de gerenciamento eficaz da destinação final de resíduos sólidos gerados pela própria comunidade escolar.

Biografia do Autor

Taiane Aparecida Ribeiro Nepomoceno, Pesquisadora do Grupo de Estudos e Pesquisas em Ciências Ambientais (Gepecia/Unioeste).

Doutoranda em Desenvolvimento Rural Sustentável e Mestra em Ciências Ambientais pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE). Pesquisadora do Grupo de Estudos e Pesquisas em Ciências Ambientais (Gepecia/Unioeste).

Edimar Lia Pontarolo, Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE).

Mestre em Ciências Ambientais pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE).

Fernanda Raquel Vier Hermann, Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE).

Mestre em Ciências Ambientais pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE).

Paula Graziela Gasparin, Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE).

Mestre em Ciências Ambientais pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE).

Douglas André Roesler, Professor Associado na UNIOESTE e Pesquisador do Grupo de Pesquisa Cidade Digital Estratégica da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR).

Doutor em Meio Ambiente e Desenvolvimento (UFPR). Professor Associado na UNIOESTE e Pesquisador do Grupo de Pesquisa Cidade Digital Estratégica da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR).

Downloads

Publicado

27-10-2021