Adaptação de Estudantes Universitários Estrangeiros no Brasil: Revisão de Escopo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.32915/pleiade.v15i33.697

Resumo

Este artigo aborda a adaptação dos estudantes universitários estrangeiros no Brasil dentro da perspectiva da internacionalização do Ensino Superior e foi motivado pela necessidade de compreender a realidade desses estudantes que buscam capacitação fora de seu país de origem. Procurou-se analisar os avanços sobre o tema nos últimos anos e que necessitam ser esclarecidos através de análises que induzem a medidas de balizamentos teóricos e empíricos estabelecidos para entender os fluxos estudantis e os fatores facilitadores e dificultadores envolvidos. Assim, objetivou-se analisar o processo de adaptação de estudantes universitários estrangeiros nas universidades brasileiras. O método adotado foi a da revisão de escopo que compreende o emprego de buscas em bases bibliográficas online de publicações entre 2009 a 2019, utilizando como pergunta norteadora: “Quais os fatores que incidem na adaptação dos estudantes estrangeiros imigrantes ao buscar uma formação universitária no Brasil? ”. Como resultado da pesquisa, foram selecionados 11 estudos que atenderam aos critérios de inclusão. Esses estudos apontaram que há elementos facilitadores como à rede de amizades e relações sociais, a assistência estudantil, o idioma e aspectos culturais e afetivos, mas também há dificultadores da adaptação relacionados às dificuldades da vida cotidiana (adaptação alimentar, moradia, saúde, custo de vida, clima e segurança), assim como, de natureza social e também afetiva representado pelo preconceito e discriminação que sofrem e a ausência familiar, levando a sofrimento psíquico, ao mesmo tempo que indicam que as políticas públicas de acolhimento e assistência estudantil nas universidades necessitam ser aprimoradas, para assim atuarem na redução da evasão nas universidades.     Palavras-chaves: Internacionalização. Adaptação de estudantes estrangeiros. Acolhimento.

Biografia do Autor

Letícia Janaina Possa Zembrzuski, Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE) – Campus de Foz do Iguaçu-PR

Professora universitária, Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Sociedade, Cultura e Fronteiras, Universidade Estadual do Oeste do Paraná – Campus de Foz do Iguaçu-PR; E-mail: letsjanaina@gmail.com, tel.: 45 999156-4136.

Clenise Maria Reis Capellani dos Santos , Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE) – Campus de Foz do Iguaçu-PR

Nutricionista, Mestre em Sociedade, Cultura e Fronteiras. Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Sociedade, Cultura e Fronteiras, Universidade Estadual do Oeste do Paraná – Campus de Foz do Iguaçu-PR; E-mail: clenisemcs@gmail.com, tel.: 45 999153537.

Oscar Kenji Nihei, Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE) – Campus de Foz do Iguaçu-PR

Biomédico, mestre em Ciências, Doutor em Ciências, docente do programa de pós-graduação em Sociedade, Cultura e Fronteiras e do programa de pós-graduação em saúde pública em região de fronteira da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE) - Campus de Foz do Iguaçu-PR; E-mail: oknihei@gmail.com ; tel.: 45 99980-5480.

Downloads

Publicado

27-10-2021