Educação Histórica e Narrativas Autobiográficas na Educação Básica: Uma Visão Complexa Sobre o Estudo de História

Autores

  • Waldy Luiz Lau Filho UFSM

DOI:

https://doi.org/10.32915/pleiade.v15i32.673

Resumo

O presente artigo aborda uma reflexão sobre o entrelaçamento entre a educação histórica e a produção de narrativas autobiográficas em aulas de história na educação básica. Campo de pesquisa relativamente recente no Brasil, a educação histórica distancia-se de uma concepção da história como um componente curricular isolado e que trata o passado como algo pronto, acabado. Ao contrário, a educação histórica conecta a aprendizagem histórica com o sujeito que aprende e, nesta direção, afirma a provisoriedade da explicação histórica e também retira do passado um sentido para o presente. Em busca de uma história transformativa, as narrativas autobiográficas permitem que cada sujeito, ao refletir sobre si e sobre o passado, atribua novos significados não somente para o passado, mas também para a sua própria vida. Esse processo ocorre de maneira única e pessoal, onde cada sujeito se complexifica. Uma visão complexa do estudo de história, percebida como uma ação emocionada e corporalizada sobre o que denominamos passado, resgata o caráter vivo da própria história. De forma semelhante, contribui para transgredir a perspectiva disciplinar ainda predominante na educação básica e para ampliar a reflexão crítica no campo da educação, em tempos de potentes mudanças e permanências.

Downloads

Publicado

31-05-2021