Mapeamento de fatores associados aos comportamentos de risco para desenvolvimento de transtornos alimentares na adolescência, em estudantes de colégios estaduais da região leste de Foz do Iguaçu-PR

Autores

  • Michelle Silveira dos Santos Schuster

Resumo

Introdução. A adolescência é marcada por intensas transformações físicas, psicológicas e sociais. Essa população sofre influência direta dos aspectos socioculturais, podendo gerar insatisfação corporal, com risco de desenvolvimento de transtornos alimentares. Objetivo. Identificar os comportamentos de risco para transtorno alimentar, os níveis de satisfação com a imagem corporal e os aspectos socioculturais influenciadores. Metodologia. Estudo transversal, realizado com 209 adolescentes, com idades entre 15 e 17 anos. Os comportamentos de risco para transtorno alimentar, foram avaliados através da Escala de Atitudes Alimentares Transtornadas (EAAT). Para avaliar a influência dos aspectos socioculturais sobre a imagem corporal, foi utilizado o Questionário de Atitudes Socioculturais em Relação a Aparência (SATAQ-3). Na avaliação do grau de satisfação corporal, foi aplicado a Escala de silhuetas. Os dados foram analisados por meio de estatística descritiva, qui-quadrado e correlação de Pearson. Resultados. A insatisfação corporal atingiu 71 % da amostra. O gênero feminino apresentou maior influência da mídia sobre a imagem corporal. A população masculina apresentou maior pontuação média para o EAAT. Conclusão. Considerando a vulnerabilidade dos adolescentes aos fatores associados aos comportamentos de risco para TA e as consequências que podem gerar à saúde, é fundamental o desenvolvimento de ações educativas e de prevenção.

Downloads

Publicado

13-03-2020