Pesquisa de Habilidades Sociais com Alunos do 9° Ano do Ensino Fundamental II do Colégio Estadual Gustavo Dobrandino da Silva

  • Aline Almeida Cabanha Acadêmica de Psicologia do Centro Universitário União das Américas (Foz do Iguaçu, PR).
  • Luciana Gomes Acadêmica de Psicologia do Centro Universitário União das Américas (Foz do Iguaçu, PR).
  • Maria Necilene Matias Tecnóloga em Processamento de Dados (CESUFOZ). Acadêmica de Psicologia da Uniamérica.
  • Roseli de Vasconcelos Duarte Licenciada em Pedagogia (UEM). Pós-graduada em Psicopedagogia (ISULPAR-2004). Acadêmica de Psicologia da Uniamérica.
  • Ivo Valente Psicólogo. Professor Orientador de Psicologia Uniamérica.

Resumo

Introdução. As Habilidades Sociais são reconhecidas como um fator importante para uma boa convivência. O desenvolvimento dessas habilidades no contexto escolar contribuirá para que essa convivência seja mais harmoniosa e positiva. Objetivo. Avaliar as Habilidades Sociais de alunos do 9° ano e realizar oficinas com a turma com maior déficit e dessa forma contribuir em uma melhora dessas habilidades para que possam refletir no comportamento problema. Metodologia. Pesquisa exploratória, descritiva, de natureza qualitativa e quantitativa com uma amostra de 81 alunos, sendo que 28 desses participaram de oficinas de Habilidades Sociais com foco na autoestima. Para levantamento de dados foram realizadas entrevistas com a equipe pedagógica e aplicação do Inventário de Habilidades Sociais (IHS) e a Escala de Autoestima de Rosenberg. Foram realizados 17 encontros, sendo que destes, 9 constituíram-se por oficinas abordando vivência grupal, dinâmicas, palestra, vídeo, infográfico, roda de conversa e jogo de cartas da autoestima. Resultados. Constatouse através do IHS um repertório abaixo da média e mediano para as 3 turmas pesquisadas, apontando um resultando baixo no fator que aborda comportamentos relacionados à autoestima. A escala de Rosenberg corroborou com este resultando dando indicações de uma possível baixa autoestima na maioria dos alunos. Conclusão. A pesquisa evidenciou baixo nível de HS com indicação de baixa autoestima. O desenvolvimento das oficinas buscou contribuir para melhorar essa habilidade nos alunos e refletir de forma positiva no comportamento desejado dentro da sala de aula.
Publicado
2018-10-05