Um novo olhar para a Arte Brasileira e o Século XIX

  • Rosangela de Jesus Silva Universidade Estadual de Campinas

Resumo

A historiografia sobre a arte brasileira do século XIX esteve, por várias décadas, influenciada pela perspectiva modernista que classificava a produção artística da época como presa a princípios e rígidas regras acadêmicas. Essa foi considerada, portanto, como uma reprodução daquela européia, pouco criativa e alheia ao contexto do seu próprio país. Esse artigo pretende mostrar que essa visão é equivocada, pois quando se observa o meio artístico sem pré-conceitos, procurando atentar para as possibilidades e questões com as quais os artistas eram colocados, bem como um olhar atento para suas obras, percebe-se que vários artistas, embora em diálogo com a produção européia, estiveram bastante atentos a sua realidade. Além disso, foi um período onde se discutiu de forma intensa os rumos da arte no país e começou a se configurar uma crítica de arte. A imprensa teve um papel de destaque nesse processo, com a participação ativa de artistas e intelectuais. O texto que se apresenta destacará a atuação de um desses artistas, o qual acumulou as funções de jornalista e caricaturista. Angelo Agostini, em sua Revista Illustrada, fez críticas, ilustrou, e divulgou obras e artistas.

Biografia do Autor

Rosangela de Jesus Silva, Universidade Estadual de Campinas
Doutora em História da Arte pela Universidade Estadual de Campinas.
Seção
Artigos