Avaliação da força muscular respiratória e mobilidade ativa dos indivíduos clínico e cirúrgico internados no setor de oncologia de um hospital de referência em Foz do Iguaçu-PR

Autores

  • Thainá Gomes

Resumo

Objetivo. O estudo teve como objetivo de apresentar a avaliação da força muscular respiratória e mobilidade ativa dos indivíduos, clínico e cirúrgico, internados no setor de oncologia em um hospital de referência da cidade de Foz do Iguaçu/PR. Metodologia. A pesquisa descritiva explorou força muscular respiratória, com manovacuômetro e mobilidade ativa com a escala de Manchester. A coleta dos dados foi no período de julho a setembro de 2019. Os pacientes foram submetidos à primeira avaliação entre 2º ou 3º dia de internação. A segunda ocorreu após o 6º ou 7º dia de admissão no setor oncológico. Foram avaliados 20 participantes, com câncer em região torácica, abdominal alta e/ou baixa, em tratamento clínico ou cirúrgico. Resultados. A amostra foi composta, predominantemente, por homens, casados e com ensino fundamental incompleto. Não eram tabagistas. Estavam internados por motivos clínicos e recebiam atendimento fisioterapêutico. Os valores médios de Pimax e Pemax ficaram abaixo do predito, não apresentando diferença significativa em indivíduos clínicos e cirúrgicos. Quanto à mobilidade ativa, os pacientes clientes não apresentaram mudanças entre a primeira e a segunda avaliação. Porém, os cirúrgicos, na primeira necessitavam de apoio para “trocar passo”, e, na segunda deambulavam com autonomia. Conclusão. As avaliações indicam que os pacientes se encontravam em condições abaixo dos parâmetros esperados, indicando atraso recuperação força muscular respiratória Programas de reabilitação precoce podem melhorar o quadro encontrado. A intervenção fisioterapêutica possibilita a retirada desses indivíduos das condições de

Downloads

Publicado

12-03-2020